Por-Que-alguns-jogos-não-fazem-sucesso

Por que alguns jogos não fazem o sucesso esperado?

março 4, 2021

O que os jogos Mass Effect Andromeda, Anthem, Marvel’s Avengers e Cyberpunk 2077 tem em comum?

Todos esses jogos enfrentaram grandes dificuldades em seu lançamento e não tiveram um bom desempenho frente ao público e a mídia especializada de videogames.

Por outro lado jogos bem mais simples e com um custo de produção infinitamente menor como é o caso de Minecraft, Valheim e Among Us tiveram uma aceitação boa do público e são considerados fenômenos de vendas.

A definição de sucesso aqui não pode ser medida apenas por U$ arrecadados pelos jogos, é preciso ter um pacote completo que inclui também reviews positivas, baixo custo de produção e legado deixado pelo jogo, para quem sabe ter uma versão futura a ser desenvolvida.

A minha intenção é tentar listar características inerentes a todos os jogos que fizeram sucesso nos últimos anos desvendando assim, quais as principais qualidades um jogo deve ter para alcançar o sucesso de vendas, público e mídia especializada.

De acordo com o levantamento feito pelo time da Betway, site apostas em eSports, jogos como Minecraft e Tetris arrecadaram cerca de U$ 5.1 Bilhão nos últimos anos e a pergunta que fica é:

Como jogos tão simples conseguem ter um sucesso tão estrondoso?

Abaixo eu deixo minha pequena contribuição para o mercado de videogames trazendo à luz tudo o que eu aprendi em quase 28 anos como gamer e aproximadamente 17 anos trabalhando no mercado de videogames nacional.

Gerenciamento de expectativas

O caso mais recente de fracasso no mundo dos games, infelizmente, foi o de Cyberpunk 2077.

Anunciado na E3 de 2012 Cyberpunk 2077 demorou 8 anos para ser desenvolvido, entre diversos adiamentos o jogo chegou em dezembro de 2020 e teve uma das pré-vendas de maior sucesso dos últimos anos.

Muito desse sucesso inicial do jogo veio da confiança que o público tinha na CD Projekt Red que havia, entre outros projetos, desenvolvido The Witcher 3: Wild Hunt um dos jogos mais aclamados de todos os tempos.

Verdade seja dita, a CD Projekt Red foi bastante discreta na criação do hype de Cyberpunk 2077, talvez por saber os problemas que havia no game e a possível rejeição do público frente a esses graves problemas.

Um outro jogo que teve muitos problemas por causa da falta de gerenciamento de expectativas foi Watch Dogs.

Lançado em 27 de Maio de 2014, apenas seis meses depois de GTA V, a Ubisoft tinha a clara intenção de bater de frente com a pérola da Rockstar, tanto é verdade que em uma de suas peças publicitárias a Ubisoft dizia:

“Seis meses é tempo suficiente para você viver em Los Santos, porque após a chegada de Watch Dogs você vai se mudar definitivamente para Chicago”

Quando finalmente Watch Dogs chegou o jogo tinha centenas de problemas, um downgrade muito evidente e acabou encalhando nas prateleiras logo depois dos primeiros reviews.

Esses dois casos mostram que é importante que as empresas façam um bom gerenciamento de expectativas e sejam o mais transparentes possíveis quanto ao produto que pretendem entregar ao público.

E-sports são o presente e o futuro dos games

Os E-sports têm tomado de assalto o mercado de games nos últimos anos, jogos como Mortal Kombat, Rainbow Six Siege, Call Of Duty e outros movem milhões de pessoas ao redor de campeonatos mundiais e premiações milionárias.

Essa é uma característica que não pode ser absorvida por todos os tipos de jogos, ora, jogos como The Last Of Us 2 nunca conseguiriam ter essa função mas nem por isso ela pode ser ignorada completamente.

Os jogos que estão no circuito de E-sports geram milhares de dólares em premiação e proporcionam que muitos E-atletas vivam dessa atividade que cresce a cada dia.

A possibilidade de unir videogame e competição chama a atenção não apenas por parecer um sonho para qualquer um, mas também pela exposição que pode causar.

Recentemente a Betway divulgou que alguns dos rostos mais conhecidos do E-sport nacional, Sheviii2k, esA e AXT entraram para o Betway Squad.

Diversos outros casos de sucesso também são conhecidos como o de ColdZera considerado um dos maiores atletas de E-Sport do Brasil.

Apesar de não ser uma característica possível para todos os jogos, o E-sport ajuda muito a manter a comunidade interessada aumentando a longevidade do game e consecutivamente dando às empresas a chance de criar continuações desses sucessos no futuro.

Multiplayer, Cross Platform e Cross-Gen

Mesmo que um jogo não possa fazer parte do cenário de E-sports ele deve sempre que possível ter um modo multiplayer.

Afirmo isso pois acredito que jogar com os amigos seja uma das experiências mais gratificantes dos videogames.

Casos recentes de sucesso também mostram que a funcionalidade de Cross Platform aumenta muito o interesse por jogos, afinal, nem todos os seus amigos têm o mesmo videogame que você.

E por fim e não menos importante, com a recente chegada do Playstation 5 e Xbox Series S|X é de suma importância que os jogos sejam cross-gen e que o usuário não tenha que pagar duas vezes para jogar nos videogames de nova geração.

Inovações são a maior fonte de hype

Como eu disse existem jogos que não podem se dar ao luxo de ter modos multiplayer e nem participar de circuitos de E-sport, ainda sim eles podem trazer à mesa inovações que atraiam a atenção do público.

Nos últimos anos pudemos testemunhar casos de sucesso como God Of War que mudou completamente o seu estilo de gameplay renovando totalmente a franquia e se tornando um dos maiores sucessos do Playstation.

Outro caso interessante é o da série de jogos inspirados no universo de J. R. R. Tolkien, falo de Terra Média Sombras de Mordor e Terra Média Sombras da Guerra.

Esses dois jogos trouxeram ao público o sistema Nemesis de IA que eu considero uma das maiores inovações do mercado de games nos últimos anos.

Outra funcionalidade que hoje em dia é esperada por todos é a localização dos jogos para vários idiomas.

O Brasil é um dos maiores mercados consumidores de videogames do mundo e recentemente vimos a Capcom se rendendo de vez ao Brasil e anunciando que Resident Evil Village, novo jogo da franquia, será um jogo totalmente dublado em português.

Ao localizar os jogos os estúdios mostram que se importam com aquele mercado criando um sentimento de reciprocidade e consecutivamente isso vai impactar diretamente nas vendas do jogo.

No Gameforfun jogos que não tem pelo menos legendas em português tem em média uma venda de 47% abaixo dos que oferecem essa funcionalidade.

Atenção aos influenciadores, eles podem matar um game

Hoje em dia vivemos na era dos influenciadores e muitos deles não se importam com o resultados de seus chiliques na internet.

O Brasil, infelizmente, é um dos locais com mais influenciadores desse tipo, não são raros os casos onde o influenciador nem mesmo zerou o game e para ter views adere a uma postura negativa ao jogo.

Mass Effect Andromeda e Anthem foram dois jogos que sofreram bastante com esse cancelamento pelos influentes. Eu nunca vou entender como alguém pode reclamar dos gráficos de Mass Effect Andromeda e pode achar Valheim um jogo bom.

É preciso que os estúdios gerenciem melhor os influenciadores que escolhem para divulgar seus jogos, muitos desses não tem qualquer compromisso com a verdade e visam apenas lucros e fama.

É claro que existem bons influenciadores que fazem um trabalho realmente digno de informar a comunidade, cito aqui o Filipe Ramos, o Canal Nautilus, Igordão e tantos outros que realmente agregam valor à comunidade.

No meu ponto de vista é hora dos estúdios e distribuidoras cortarem as relações com esses influenciadores tóxicos que existem hoje no Youtube.

Preços compatíveis com o seu produto

Com os recentes acontecimentos de saúde pública no mundo, o dólar disparou em diversos locais do globo, no Brasil isso foi bastante grave e influenciou diretamente nos preços de games.

Um caso clássico foi o da série Fifa, em 2019 você podia comprar um Fifa 20 na Xbox Live por R$ 230,00 já a versão Fifa 21 é encontrada hoje por não menos do que R$ 299.

É preciso que os estúdios tenham o entendimento do que está sendo entregue para o público e avaliem melhor o valor que comercializam o jogo.

Sabemos que, principalmente no Brasil, boa parte do valor dos games é imposto mas ainda sim é preciso um esforço maior das empresas para amenizar isso.

Conclusão

O mercado de games é vasto e cheio de variáveis que não podem ser controladas, porém, eu acredito que ao observar essas características listadas acima os estúdios e distribuidoras vão aumentar bastante a chance de criar um jogo que se aproxime daquilo que poderia ser um jogo perfeito.

E você o que acha que os jogos precisam ter para alcançar o sucesso desejado? Use os comentários e deixe sua contribuição.

Indique para seus amigos

Compartilhe
Compartilhe
Compartilhe
Compartilhe
Picture of Lucas Marçal

Lucas Marçal

Lucas Marçal, tambem conhecido como Luke Vader é CEO do Gameforfun. Youtuber e nas horas vagas gasta o tempo jogando.

Faça sua busca